Possíveis impactos dos agrotóxicos na saúde humana

A revisão científica “Os Impactos dos Agrotóxicos na Saúde Humana nos Últimos Seis Anos no Brasil” reúne 51 estudos publicados por cientistas em 27 instituições brasileiras de ensino e pesquisa. Os estudos foram revisados por pares e publicados em revistas científicas.

A revisão foi publicada em março deste ano pela imunologista e pesquisadora científica do Instituto Butantan Monica Lopes Ferreira em parceria com outros oito pesquisadores da instituição.

Alguns dos estudos detectaram a presença de agrotóxicos na urina, no sangue e em fios de cabelo de agricultores e familiares. Os pesquisadores também fazem alertas sobre a falta de orientação aos trabalhadores rurais a respeito do uso de equipamentos de segurança.

Confira abaixo o que os estudos encontraram:

Danos ao DNA

  1. Estudo: Investigação de potenciais biomarcadores para o diagnóstico precoce de instabilidade celular após exposição de trabalhadores agrícolas a agrotóxicos. Instituições: Universidade Luterana no Brasil e Centro Universitário La Salle, ambos em Canoas (RS); Universidade de Caxias do Sul, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Universidade do Extremo Sul Catarinense e Universidade de São Paulo. 
  2. Estudo: Exposição ocupacional de trabalhadores a agrotóxicos: Toxicogenética e polimorfismos de genes de suscetibilidade. Instituições: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí; Universidade Luterana do Brasil, em Canoas (RS); Hospital das Clínicas de Porto Alegre; Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Uninovafapi, em Teresina (PI).
  3. Estudo: Avaliação de danos ao DNA em floricultores do sul do Brasil. Instituição: Universidade Feevale, em Novo Hamburgo (RS). 
  4. Estudo: Medição de telômeros em indivíduos ocupacionalmente expostos a misturas de agrotóxicos em plantações de tabaco. Instituições: Universidade Luterana do Brasil, em Canoas (RS); Universidade Federal do Rio Grande Do Sul; Unilasalle, em Canoas; e Universidade de Caxias do Sul. 
  5. Estudo: Marcadores de genotoxicidade e estresse oxidativo em agricultores expostos a agrotóxicos. Instituição: Universidade Federal de Santa Catarina.
  6. Estudo: Papel dos polimorfismos PON1, SOD2, OGG1, XRCC1 e XRCC4 na modulação de danos ao DNA em trabalhadores expostos ocupacionalmente a agrotóxicos. Instituições: Universidade Luterana do Brasil e Centro Universitário La Salle, ambos em Canoas (RS); Commonwealth Scientific and Industrial Research Organization, na Austrália; Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. 
  7. Estudo: Exposição Ocupacional a Pesticidas em Campos de Tabaco: A Avaliação Integrada da Ingestão Nutricional e Suscetibilidade na Instabilidade Genômica e Epigenética. Instituições: Universidade Luterana do Brasil, em Canoas (RS); Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation, na Austrália; Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Universidade Federal do ABC, em Santo André (SP); Universidad de la República e Instituto de Investigaciones Biológicas Clemente Estable, no Uruguai. 
  8. Estudo: Exposição ocupacional crônica sofrida por fumicultores do Brasil e associação com danos no DNA. Instituições: Universidade Luterana do Brasil, em Canoas (RS); Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation, na Austrália; UniLaSalle, em Canoas (RS); Universidade de Caxias do Sul; Universidad de la República e Instituto de Investigaciones Biológicas Clemente Estable, no Uruguai; Pontifícia Universidade Católica (RS); e Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
  9. Estudo: Investigação da exposição a agrotóxicos por análises genotoxicológicas, bioquímicas, polimórficas genéticas e in silico. Instituições: Universidade Luterana do Brasil, em Canoas (RS); Universidade Feevale, de Novo Hamburgo (RS); Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Universidade Federal do Mato Grosso; e Universidade La Salle, Canoas (RS).
  10. Estudo: Avaliação de danos ao DNA e atividade da colinesterase em produtores de soja no sul do Brasil: alta versus baixa exposição a pesticidas. Instituição: Universidade Feevale, em Novo Hamburgo (RS).  
  11. Estudo: Respostas de multibiomarcadores a agrotóxicos em uma população agrícola do Brasil Central. Instituições: Universidade Federal de Goiás, Universidade Federal de Jataí e Universidade do Alabama em Birmingham.
  12. Estudo: Anormalidades cromossômicas e expressão gênica de reparo de DNA desregulada em agricultores expostos a agrotóxicos. Instituição: Universidade Federal do Ceará.

Disfunção renal

  1. Estudo: Exposição ambiental e efeitos na saúde de crianças de uma região produtora de tabaco. Instituições: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Universidade Federal de Santa Maria; e Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. 

Intoxicação

  1. Estudo: Intoxicação acidental na população infantojuvenil em ambiente domiciliar: perfil dos atendimentos de emergência. Instituição: Universidade Federal de Mato Grosso. 
  2. Estudo: Avaliação de saúde pública por exposição a agroquímicos: uma experiência com a agricultura familiar no noroeste do Rio de Janeiro. Instituições: Universidade Federal do Rio de Janeiro; Universidade de São Paulo; e Centro de Tecnologia em Nanomaterias, em Belo Horizonte (MG).
  3. Estudo: Avaliação da Atenção Primária à Saúde para trabalhadores rurais expostos a agrotóxicos. Instituições: Universidade José do Rosário Vellano e Universidade Federal de Alfenas, em Alfenas (MG); e Universidade Federal de Lavras, em Lavras (MG). 
  4. Estudo: Exposição a agrotóxicos: estudo de base populacional em zona rural do sul do Brasil. Instituição: Universidade Federal de Pelotas.

Desempenho cognitivo

  1. Estudo: Exposição a pesticidas organoclorados e desenvolvimento cognitivo em crianças e adolescentes residentes em uma área contaminada no Brasil. Instituição: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, da Fundação Oswaldo Cruz. 

Câncer de pele

  1. Estudo: Câncer de pele em trabalhadores rurais: conhecimento e intervenção de enfermagem. Instituições: Universidade Federal do Rio Grande e Unimed Litoral Sul, ambas em Rio Grande (RS); e Universidade José do Rosário Vellano, em Alfenas (MG). 

Alteração hematológica

  1. Estudo: Exposição ambiental e efeitos na saúde de crianças de uma região produtora de tabaco. Instituições: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Universidade Federal de Santa Maria; e Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.
  2. Estudo: Alterações Hematológicas e Hepáticas em População Brasileira Altamente Exposta a Pesticidas Organoclorados. Instituição: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, da Fundação Oswaldo Cruz.
  3. Estudo: Efeitos de agrotóxicos em trabalhadores rurais: parâmetros hematológicos e relatos sintomáticos. Instituições: Universidade Federal do Espírito Santo e Universidade Federal do Piauí.
  4. Estudo: Exposição ocupacional a agrotóxicos e alterações hematológicas: um levantamento com moradores de fazendas do Sul do Brasil. Instituições: Instituição: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, da Fundação Oswaldo Cruz; Centro Universitário da Serra Gaúcha, em Caxias do Sul (RS); e Institute of Biomedical Research of Granada, na Espanha.
  5. Estudo: Parâmetros bioquímicos, hematológicos e imunológicos e relação com a exposição ocupacional a agrotóxicos e metais. Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Alterações hepáticas

  1. Estudo: Alterações Hematológicas e Hepáticas em População Brasileira Altamente Exposta a Pesticidas Organoclorados. Instituição: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, da Fundação Oswaldo Cruz.
  2. Estudo: Efeito da exposição a agrotóxicos na capacidade antioxidante total e parâmetros bioquímicos em sojicultores brasileiros. Instituição: Universidade Feevale, em Novo Hamburgo (RS).
  3. Estudo: Avaliação da Atenção Primária à Saúde para trabalhadores rurais expostos a agrotóxicos. Instituições:  Universidade José do Rosário Vellano e Universidade Federal de Alfenas, em Alfenas (MG); e Universidade Federal de Lavras, em Lavras (MG). 

Saúde mental

  1. Estudo: Tentativas de suicídio por exposição a agentes tóxicos registradas em um Centro de Informação e Assistência Toxicológica em Fortaleza, Ceará, Brasil, 2013. Instituições: Universidade Federal do Ceará e Instituo Dr. José Frota, Ceará. 
  2. Estudo: Exposição a agrotóxicos e transtornos mentais em uma população rural do Sul do Brasil. Instituição: Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA).
  3. Estudo: Exposição a agrotóxicos, tabagismo, autopercepção de saúde ruim e presença de doença crônica são determinantes de sintomas depressivos em cafeicultores do Sudeste do Brasil. Instituições: Universidade Federal do Espírito Santo e Instituto Federal do Espírito Santo
  4. Estudo: Exposição ocupacional a agrotóxicos e sintomas de saúde entre agricultores familiares no Brasil. Instituições: Universidade de São Paulo; Universidade Federal do Rio de Janeiro; Universidade Federal da Bahia; Universidade Federal de Minas Gerais; e Universidad Católica del Maule, no Chile.

Malformação congênita

  1. Estudo: Exposição parenteral a agrotóxicos e ocorrência de malformações congênitas: estudo caso-controle de base hospitalar. Instituições: Universidade Federal de Mato Grosso e Centro Universitário de Várzea Grande, em Mato Grosso.

Distúrbio do movimento

  1. Estudo: Tremor essencial em agentes de controle de doenças endêmicas expostos a agrotóxicos: um estudo caso-controle. Instituição: Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana, Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, da Fundação Oswaldo Cruz.

Deficiência auditiva

  1. Estudo: Desempenho de algoritmos de aprendizado de máquina para reconhecimento de padrões e classificação de deficiência auditiva em agricultores brasileiros expostos a agrotóxicos e/ou fumaça de cigarro.
  2. Estudo: Percepção da Qualidade de Vida de Fumicultores Expostos a Agrotóxicos: Ênfase em Saúde, Audição e Condições de Trabalho.
  3. Estudo: Efeitos adversos de agrotóxicos nas funções auditivas centrais em fumicultores

Desreguladores endócrinos

  1. Exposição ocupacional a agrotóxicos e função tireoidiana em sojicultores brasileiros. Instituição: Universidade Feevale, em Novo Hamburgo (RS). 

Cefaléia

  1. Estudo: Avaliação de saúde pública por exposição a agroquímicos: uma experiência com a agricultura familiar no noroeste do Rio de Janeiro. Instituições: Universidade Federal do Rio de Janeiro; Universidade de São Paulo; e Centro de Tecnologia em Nanomaterias, em Belo Horizonte (MG).
  2. Estudo: Exposição a agrotóxicos e condições de saúde entre produtores de laranja no sul do Brasil. Instituição: Universidade Feevale, em Novo Hamburgo (RS).
  3. Estudo: Exposição ocupacional a agrotóxicos e sintomas de saúde entre agricultores familiares no Brasil. Instituições: Universidade de São Paulo; Universidad de Chile e Universidad Católica del Maule, ambas no Chile; Universidade Federal de Minas Gerais; Universidade Federal do Rio de Janeiro; e Universidade Federal da Bahia.

Alterações na tireóide e testosterona masculina

  1. Estudo: Hormônios tireoidianos e reprodutivos em relação ao uso de agrotóxicos em uma população agrícola no sul do Brasil. Instituições: Centro Universitário da Serra Gaúcha, em Caxias do Sul (RS); Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Instituto de Investigación Biosanitaria de Granada, Espanha; CIBER de Epidemiología y Salud Pública (CIBERESP), Espanha; Escola Nacional de Saúde Pública, da Fundação Oswaldo Cruz.
  2. Estudo: Exposição a pesticidas organoclorados e desenvolvimento cognitivo em crianças e adolescentes residentes em uma área contaminada no Brasil. Instituição: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, da Fundação Oswaldo Cruz.

Danos aos hormônios reprodutivos

  1. Estudo: Exposição ocupacional a agrotóxicos, níveis de hormônios reprodutivos e qualidade espermática em homens jovens brasileiros. Instituições: Escola Nacional de Saúde Pública, da Fundação Oswaldo Cruz; Universidade da Serra Gaúcha, em Caxias do Sul (RS); Universidade de Caxias do Sul; Universidade Estadual do Rio de Janeiro; Institute of Biomedical Research of Granada e Biomedical Research Centre Network for Epidemiology and Public Health, na Espanha. 

Hepatite crônica

  1. Estudo: Avaliação da Atenção Primária à Saúde para trabalhadores rurais expostos a agrotóxicos. Instituições: Universidade José do Rosário Vellano e Universidade Federal de Alfenas, ambas em Alfenas (MG); e Universidade Federal de Lavras, em Lavras (MG). 

Câncer bucal

  1. Estudo: Avaliação dos efeitos genotóxicos em trabalhadores agrícolas brasileiros expostos a agrotóxicos e fumaça de cigarro usando algoritmos de aprendizado de máquina. Instituição: Universidade do Oeste Paulista, em Presidente Prudente (PP).

Desequilíbrio do sistema imune

  1. Estudo: Resposta imune de agricultores brasileiros expostos a múltiplos agrotóxicos. Instituição: Universidade Federal de Santa Catarina. 

Risco cardiovascular

  1. Estudo: Exposição ocupacional a agrotóxicos na agricultura familiar e o perfil oxidativo, bioquímico e hematológico neste modelo agrícola. Instituição: Universidade Federal do Pampa, em Uruguaiana (RS).

Matérias relacionadas