A indústria na mesa do café da manhã

Tornou-se lugar-comum a concepção de que o café da manhã é “a refeição mais importante do dia”. A ideia ganhou força com estudos que associam a ingestão matinal de alimentos a benefícios à saúde. Pesquisas que reforçam essa noção, no entanto, servem mais a interesses comerciais do que científicos, pois recebem financiamento de empresas que vendem produtos lácteos e cereais açucarados. Contraditoriamente, o consumo destes itens —em geral, ultraprocessados— está não só relacionados a problemas de saúde, como também à descaracterização de hábitos alimentares culturais. 

Entrevistadas:

  • Daniela Silva Canella, professora Adjunta do Departamento de Nutrição Aplicada e do Programa de Pós-Graduação em Alimentação, Nutrição e Saúde do Instituto de Nutrição da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.
  • Adriana Salay, historiadora que estuda Brasil contemporâneo e temas relacionados à fome, identidade e hábitos alimentares.

Fontes de informação citadas no episódio

Para saber mais…

Se você tiver alguma dúvida, comentário ou sugestão sobre o episódio, fala com a gente nas redes sociais ou no email [email protected]

Direção de temporada Guilherme Zocchio Roteiro Marina Yamaoka e João de Mari | Narração Guilherme Zocchio & Marina Yamaoka | Edição de Som Victor Oliveira | Produção Marina Yamaoka | Design Denise Matsumoto | Mídias Sociais Amanda Flora | Trilha sonora Blue Dot Sessions ||

Esse podcast está no ar graças ao apoio da Fundação Heinrich Böll e das doações de 276 ouvintes que participaram de uma campanha de financiamento coletivo

Matérias relacionadas